Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Minha Vida e Eu

Uma mudança de inicio de ano, mudar para inspirar!

07
Jul16

Carta de um Marido

Ana Gomes

Marido chega a casa depois de um dia de trabalho, cansado e só quer sentar a ver futebol. Não querendo ser incomodado por filhos, nem tarefas domésticas... 

A esposa farta de tudo isto todos os dias decidiu sair de casa após uma discussão! 

O marido ao fim de 2 dias escreve uma carta à esposa! 

Decidi transcrever a carta para que todos os pais e maridos tenham atenção ao que dizem às esposas! 

 

“Meu amor:

Há dois dias atrás, nós tivemos uma grande discussão. Eu tinha chegado cansado dos problemas do trabalho. Eram 20:00, e tudo o que eu queria era sentar no sofá para assistir ao jogo.

Quando olhei, vi que você estava exausta e de mau humor. As crianças estavam brigando e o bebê chorava enquanto você tentava dormir.

Eu só aumentei o volume do televisor.

‘Não fazia mal se você me ajudasse um pouco e se envolvesse mais na educação de seus filhos’, você me disse com o rosto trancado, enquanto baixava o volume do televisor.

Eu, com raiva, respondi: ‘Passei o dia todo trabalhando para que você possa ficar em casa e brincar com bonecas’.

A discussão foi longa. Você chorou de coragem e fadiga. Eu disse coisas cruéis… Você saiu de casa chorando, e me deixou sozinho com as crianças.

Eu tive que lhes dar o jantar e colocar as crianças para dormir. No dia seguinte, você não tinha voltado, e tive que pedir o dia de folga para o meu patrão, e ficar a cuidar dos meninos.

Eu vivi birras e lágrimas.

Eu vivi o estar correndo sem parar e não ter um momento nem tomar banho.

Eu vivi o ter de preparar o leite, vestir as crianças e limpar a cozinha ao mesmo tempo.

Eu experimentei estar preso durante todo o dia sem falar com ninguém maior de dez anos.

Eu vivi o não ser capaz de comer em paz, sentado em uma mesa, por estar perseguindo uma criança.

Eu experimentei estar tão física e mentalmente exausto que só queria dormir 20 horas seguidas, mas tinha acordar às três horas porque o bebê estava chorando.

Passei dois dias e duas noites “na sua pele” e posso dizer que agora entendo…

Entendo o seu cansaço.

… Eu entendo a incerteza que você sente por a sua economia não depender mais de você, mas do seu parceiro.

Eu entendo os sacrifícios de não ter tempo para sair com os amigos, fazer exercício ou dormir a noite inteira.

Eu entendo o quão difícil pode ser estar fechada a cuidar dos filhos e a sensação de perder o que acontece lá fora.

Até entendo sua raiva quando a minha mãe critica a sua maneira de educar nossos filhos, porque ninguém sabe o que é melhor para os filhos do que a própria mãe.

Eu entendo que você, ao ser mãe, carrega o fardo mais pesado da sociedade. Ninguém o reconhece, nem valoriza, nem remunera.

Escrevo essa carta não só para que volte porque sinto sua falta, mas porque não quero passar nem mais um dia sem lhe dizer, antes de terminar o dia:

“Você é muito corajosa, está fazendo um bom trabalho e lhe admiro”.

 

Sinto-me assim muitas vezes, sou acusada de não fazer nada e ainda ter que ouvir o marido a soprar com ar de aborrecido por não conseguir sentar-se no sofá depois de um dia de trabalho! 

Pois já por várias vezes lhe disse que não é ele que se levanta de manhã e tem que aturar as birras! Birra para vestir, birra ao pequeno almoço, birra a calçar, birra por tudo e por nada! 

Não é ele que tem que estar sempre a levantar e sentar ao almoço porque os pequenos chamam... enquanto ele come sossegado no café ao pé do trabalho eu estou em casa com os dois e mal consigo comer em condições! 

Não é ele que vem no carro com eles os dois, enquanto estamos parados e eles começam a bater um ao outro! 

Não é ele que tem que ir busca-los a correr a casa da avó para os levar para as actividades, vesti-los, dar-lhes banho e ainda chegar a casa e ter de arrumar, cozinhar e deita-los! 

Também eu preciso de descanso, também eu preciso dos meus momentos! Tomo banho a correr muito em menos de dois minutos só porque os pequenos não podem estar sozinhos! 

Esta carta é valida para homens como para mulheres, todos nós temos que dar valor uns aos outros e entre ajudarmo-nos! 

Só assim conseguimos uma harmonia em casa! Uma família! 

 

 

Texto retirado do site Força Portugal

 

 

 

6 comentários

Comentar post

Twitter

instagram

Blogs de Portugal

Parcerias

Desafio de Leitura

Leituras & Livros

Bloglovin

Follow