Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Minha Vida e Eu

Desabafos, Organização, Costuras, Dicas, Viagens e Miúdos!

A Minha Vida e Eu

Desabafos, Organização, Costuras, Dicas, Viagens e Miúdos!

Ser professor(a)

Temos de valorizar todas as profissões!

Ana Gomes, 01.06.20

Bem sei que não sou a única a passar por esta situação e como eu estão milhares de pais neste país na mesma situação.

As aulas dos pequenos começaram pela tele escola, mas sinceramente não acho que seja algo que os entusiasme, mas pronto sempre aprendem alguma coisa de maneira diferente (ou não). 

Ao fim de uma semana de aulas sincronas do meu filho mais velho... notei a falta de aulas de história, mas como as coisas estavam um pouco no inicio não dei importancia. 
Um mês de aulas sincronas passaram e nada de professor(a) de história, começo a ficar preocupada e peço ao meu filho que esteja atento às aulas de história pela tele escola. 

Não estando eu em casa, pois tenho de vir trabalhar e sendo o pai a ficar com eles fiquei apreensiva. 

Recebemos um email dos coordenadores de sala a informar que a professora de história está de baixa por doença  e que o professor substituto recusou o horário! 

Comecei a magicar que só haverão mas 3 semanas de aulas... o que me leva a crer que em 3 semanas nenhum professor substituto venha a conseguir dar o resto da matéria. 

Bem comecei a pensar em soluções, pedir ao meu professor de história que é por acaso avô de um amiguinho do meu filho mais velho, pedir aos meus primos que são professores ou ao meu cunhado... mas depois decicidi tentar eu! 

Sempre gostei de história e adorava quando o meu professor desde o 7º ano ao 12º ano nos explicava as coisas e dava exemplos da vida real ou de algo que tivesse acontecido com ele.

Assim comecei a dar a economia em Portugal após a reconquista! Explicar a agricultura e a pastoricia e voltar aos meus tempos de adolescente quando ia para a escola. 

Explicar-lhe as feiras francas, os almocreves e os artesãos. 

Foi um reviver e ver o entusiasmo dele em quanto me ouvia. Fez perguntas e tirou dúvidas e chegou ao fim e diz-me "Mãe explicas melhor que a minha professora!" 

Ops... e agora? Será que a minha vocação era para professora?

 

2 comentários

Comentar post